*Atitude de Pezão deve servir de exemplo para Wellington Dias

**Texto do jornalista Zózimo Tavares do Blog Cidade Verde, que reproduzimos na íntegra-07/01/2018

O Piauí deve indenização à família da menina morta por PMs

Aí por volta de meados de abril de 2015, eu recebia uma ligação telefônica do deputado federal Paes Landim (PTB-PI), com uma informação e um apelo.

A informação: em um encontro casual, o governador do Rio, Pezão (PMDB), havia lhe antecipado que o Estado do Rio de Janeiro pagaria uma pensão para a família de Eduardo, um menino de 10 anos, filho de piauienses, morto durante uma operação policial.

O apelo: que eu fizesse o registro na imprensa do Piauí sobre a decisão do governo fluminense. Fiz

 

Eduardo de Jesus Ferrreira foi morto por engano no dia 2 de abril de 2015, uma quinta-feira da Semana Santa, durante uma operação no Areal, no Complexo do Alemão, conjunto de favelas da zona Norte do Rio.

Já no dia 12 de junho, a imprensa do Rio e de São Paulo registrava que o Governo do Estado do Rio de Janeiro havia pago aos pais do menino a indenização por danos materiais e morais.

Rito sumaríssimo

Em nota, o Governo do Rio informava que "o processo correu em rito sumaríssimo" e os recursos já estavam na conta bancária da mãe, Terezinha Maria de Jesus, e do pai de Eduardo, José Maria Ferreira de Souza, ambos da região de Corrente do Piauí.

Além das indenizações, cujo valor não foi revelado "a fim de preservar a família", o acordo com a Defensoria Pública, que representava os pais do menino, fixou o pagamento de pensão mensal à família a partir de 17 de setembro de 2018, quando Eduardo completaria 14 anos de idade, até 17 de setembro de 2069, quando ele completaria 65 anos.

Perda impagável "Sei que nada vai reparar a perda e aliviar a dor e o sofrimento dos pais do menino Eduardo, mas a indenização é o mínimo que o Estado pode fazer para ajudar a família a reconstruir suas vidas", afirmou o governador Luiz Fernando Pezão.

O governo informou ainda ter arcado com as despesas do traslado e sepultamento do corpo do menino Eduardo de Jesus para o Piauí, onde foi enterrado, além da viagem dos pais e irmão ao Estado.

"Além disso, técnicos da Secretaria estadual de Assistência Social estão prestando assistência e amparo psicológico à família do menino", afirmou a administração estadual do Rio em nota.

* Título: Blog do Murilo