Professores de Timon não receberam 1/3 de férias e Sinterpum é acusado de "faz corpo mole"

Professores denunciam "alinhamento" do Sinterpum com o Governo Leitoa

Márcia Feitosa, presidente do Sinterpum
Márcia Feitosa, presidente do Sinterpum

De férias do período letivo desde 02 de janeiro de 2018 os professores da rede municipal de ensino deveriam, segundo a lei, ter recebido 1/3 de férias dois dias antes do gozo das férias, mas não foi isso que ocorreu em Timon. Os professores estão sem receber o benefício e reclamam que o sindicato da categoria está fazendo corpo mole junto à gestão municipal para cobrar o direito da categoria.

Por isso, os professores de Timon formaram uma comissão para tratar junto ao Sinterpum paa que o sindicato intervenha junto à Secretaria de Educação para que o pagamento, em atraso, seja regularizado junto aos professores e garanta esse direito por lei.

Em áudio repassado em grupo de whatsapp e que o blogdoribinha teve acesso, as professoras Uerly Queiroz e Francisca fazem um relato da situação aos outros professores do município de reunião onde foi tratado do assunto junto ao sindicato da categoria com os representantes dos professores e os membros da diretoria do Sinterpum Márcia Feitosa e Elisângela Leonarda.

De acordo com o relato feito em áudio por uma das professoras e confirmado pela Professora Uerly com o titular do blog, o sindicato está inerte às lutas da categoria e “não consegue nos representar junto ao governo”. Veja a transcrição áudio:  “Uma comissão de seis professores seu  reuniu hoje (ontem) no Sinterpum, onde estavam presentes  as diretoras Márcia e Elisângela. Estávamos lá para conversar com elas sobre nosso 1/3 de férias. Márcia tomou logo a medida de ligar para a secretaria e ao ligar falou Vilma, tesoureira da secretaria, e ele nos deu como resposta, que a mesma não teria uma data definida para que a secretaria  efetuasse esse pagamento. Porém continuamos a reunião para discutirmos que encaminhamento iríamos tomar. Tivemos como sugestão da presidente fazer um manifesto . E concordamos. A mesma (Márcia Feitosa) ligou para o advogado falou sobre o encaminhamento que o Sinterpum deveria tomar para que o manifesto fosse feito. O advogado, porém, disse que não  haveria problema haja vista que todos os professores estão de férias. Então o movimento era legal. Estávamos decidido a fazer em defesa do nosso 1/3 de férias. Porém sem  nenhuma razão aparente, a presidente se desmotivou e saímos de lá sem nenhum posicionamento. O que percebemos é que o nosso sindicato não tem interesse de se manifestar contra esse governo, ou seja, precisamos gente nos reorganizar urgente, e para isso, também tomamos com encaminhamento já, hoje, (ontem), irmos ao Ministério Público para falar sobre essa pauta do 1/3 de férias. Então gente fiquemos atento aos grupos para possíveis informações. Muito obrigado foi isso que nós discutimos em nossa reunião”.

Tentamos contato com a presidente do Sindicato, mas pelo telefone informado ao blogdoribinha não conseguimos contato com Márcia Feitosa. O blog está com o espaço jornalístico aberto para que o Sinterpum faça os devidos esclarecimentos sobre o possicionamento dos professores de Timon.