Dolce&Gabanna explora a história da Sicília em nova linha

A Alta Sartoria incendeia Palermo e faz sonhar com perfume de Mil e Uma Noites em túnicas exuberantes


Foto: Luca e Alessandro Morelli)

Foto: Luca e Alessandro Morelli)

Foto: Luca e Alessandro Morelli)

Domenico Dolce e Stefano Gabbana guardaram o melhor evento de sua linha de Alta Sartoria para a Sicília, terra natal do primeiro. Realizado em julho na praça vizinha à embasbacante catedral e ao precioso monastério Chiostro dei Benedettini, em Monreale, nos arredores de Palermo, o desfile foi grandioso, como de costume, com impressionante riqueza, diversidade de estilos e fidelidade à história da região. E, para entender a coleção dos designers, é preciso aprofundar-se nas raízes sicilianas e na riqueza de seus monumentos.

As influências árabes, normandas, gregas, venezianas e bizantinas convivem em plena harmonia nos 6.500m2 de mosaicos presentes na catedral construída no século 12. Foram usadas mais de 2t de ouro  na decoração encomendada pelo então rei da Sicília, William II. O jovem de 20 anos mandou vir arquitetos dos quatro cantos do planeta para materializar o pedido que a Virgem Maria lhe fez durante um sonho. Sabiamente, Domenico e Stefano convidaram o público a visitar a catedral antes de tomar os assentos para a apresentação.

Para a dupla de designers, as roupas funcionaram como uma catedral, uma tela em branco na qual eles exercitaram a riqueza de bordados sacros e construíram mosaicos com clara referência a figuras santas presentes no histórico edifício. Túnicas, caftãs e robes opulentos fizeram companhia à impecável (e exuberante) alfaiataria – em costumes de jacquard ou de tecido brocado –, pijamas outdoor, blazers e polos de couro de crocodilo, bombers cobertas de paetês, camisas estampadas com paisagens locais, smokings floridos... O repertório de 116 entradas teve efeito similar ao que o Duomo local causou nos mais de 400 convidados.

Foto: Luca e Alessandro Morelli)
Moda Sartoria (Foto: Luca e Alessandro Morelli)

Boquiaberta com tamanha beleza, a clientela russa, árabe, indiana e brasileira, entre outras, aplaudiu o show de pé e tratou de marcar hora na manhã seguinte, no showroom armado no hotel Villa Igiea, para arrematar as preciosas roupas. Praticamente todos os looks do desfile estavam vendidos ou encomendados 24 horas depois. “Esta é uma coleção sobre história. Stefano e eu acreditamos que o que precisamos também na moda, hoje, é uma visão sobre beleza”, resumiu Domenico.

Fonte:http://gq.globo.com/Estilo/Moda-masculina/noticia/2018/01/dolcegabanna-explora-historia-da-sicilia-em-nova-linha.html