Márcia Leal alerta mulheres sobre erro comum: ‘Pensar só no prazer dele’

A Coach de Relacionamentos revelas as dificuldades que a maioria encontra na 'hora H' e o porquê de algumas não se permitirem ter prazer

Hoje vamos falar sobre um assunto que todo mundo se interessa e que não é comida: De repente, em uma roda de amigos, alguém começa a falar de sexo e do nada todos já estão contando suas experiências ou desejos que ainda não foram realizados entre quatro paredes... quem nunca!?

Para alguns um tema descontraído, para outros algo íntimo e que não precisa andar espalhando por aí. Infelizmente ainda não existe nenhum manual para isso, então cada um lida de uma maneira diferente.

O que muita gente não sabe ou prefere não dar importância é que muitas mulheres ainda sentem dificuldades de chegar ao orgasmo e foi pensando nisso, que eu convidei a Coach de Relacionamentos, Márcia Leal para falar quais seriam as dificuldades que as mulheres encontram na 'hora H' e o porquê de algumas não se permitirem ter prazer.

Coach de Relacionamentos Márcia Leal
Coach de Relacionamentos Márcia Leal

“A partir do momento em que a mulher tem amor próprio e deixa de ser alienada ela vai se empoderar, passar a ser dona de si e assim conseguir sentir prazer durante o ato sexual”, afirma Márcia Leal.

Há cinco anos, a Márcia ministra palestras voltadas para um assunto que muita gente prefere ainda ficar só na prática a ter que buscar um pouco mais sobre a teoria. O que não é o caso da mulherada que procura a coach, seja para dar um 'upgrade' no relacionamento e sair da rotina, ou mesmo para aprender um pouco mais sobre sua própria sexualidade.

Só que infelizmente, durante os encontros, a maioria das mulheres recorre a Márcia pra pedir o mesmo: “Quero satisfazer meu parceiro na cama".

Por insegurança, muitas delas acabam recorrendo ao mais prático, que é deixar de lado o próprio prazer. Uma pesquisa realizada no ano passado pela Universidade de São Paulo aponta que 62% das mulheres ainda fingem orgasmos para agradar o parceiro por medo de decepcioná-lo.

“Se todas as mulheres fossem feministas, ninguém segurava a gente! Quando falamos em feminismo algumas pessoas distorcem; acham que é quando a mulher quer ser superior ao homem e não é isso. Apenas queremos os mesmos direitos. Da mesma forma, acontece no sexo. É importante a mulher conhecer o próprio corpo, se tocar. Enfim, se amar e se permitir”, diz Márcia Leal.

Márcia Leal ministrando palestra em Fortaleza (CE)
Márcia Leal ministrando palestra em Fortaleza (CE)

Ela me explicou que as mulheres aqui em Teresina já não estão mais presas à ideia de que falar sobre sexo é proibido, mas ainda assim algumas preferem ser discretas e evitam, por exemplo, mostrar que participam dos eventos. Além disso, há muitos tabus a serem quebrados como o da masturbação feminina, algo que por conta da cultura machista ainda enraizada, acaba sendo pouco explorada.

“Uma das coisas que eu ensino nas minhas palestras é a questão da masturbação feminina, coisa que muitas ainda se privam de fazer por puro preconceito. Sendo que ainda tem o detalhe de que 90% do prazer da mulher está no clitóris e não na penetração", conta a coach.

O vibrador, por exemplo, é um grande aliado, mas, segundo a Márcia, as meninas deixam de usar só por que seus maridos se sentem ameaçados, com medo de serem substituídos pelo objeto (difícil de acreditar eu sei).

Antes de ser coach, a Márcia Leal atuava na área do Jornalismo e já cursa o último ano do curso de Psicologia. Ela realiza atendimentos individuais para mulheres que a procuram como Coach de Relacionamentos e foi a primeira nordestina a ministrar palestra na Íntime Expo, em São Paulo.

“De forma sã, segura e consensual. É assim que deve acontecer uma relação sexual e amorosa. Se a mulher não estiver a fim não adianta forçar a barra. A primeira coisa é o homem saber amar a parceira, tratá-la bem, respeitar e claro não esquecer das preliminares!”, recomenda. 

É dica que você quer?

A dica que a Márcia dá aos casais é que vivam o sexo sem se reprimir ou se privar por qualquer tipo de preconceito ou crença. E nada de se basear em filmes pornôs! Lembre-se que nem sempre a vida imita a arte. 

E se você se inspirou e já quer por em prática com seu crush não esqueça de que sempre tem uma forma de inovar.

Seja uma massagem... mas não é aquela que faz a pessoa dormir ao chegar do expediente não... Tô falando da massagem sensual/erótica, tem a tântrica também, enfim. Claro um ambiente bacana, com velas perfumadas; música agradável, não pode faltar; lingerie, que aliás depende muito da preferência, tem gente que curte já outras pessoas nem ligam.

E só pra lembrar que aqui em Teresina dá pra achar esses itens em qualquer sexshop, inclusive, em suas palestras, a Márcia leva produtos sensuais da linha "Intt" para que as clientes tenham um melhor acesso a eles.