"Não é tão importante ser considerado o melhor de todos os tempos", afirma Federer

Maior vencedor de torneios Grand Slams na Era Aberta, Roger Federer afirmou que não liga para o título de "melhor de todos os tempos"

De volta às quadras na grama, o suíço Roger Federer não quer saber do debate de quem é o melhor de todos os tempos. O vencedor de 18 Grand Slams explicou porque não liga para a discussão.

- Se eu vencer todos os torneios nos próximos 10 anos, posso ser considerado o melhor, sim. Mas, caso contrário, ainda haverá debate porque não fiz coisas quando tinha 15 anos de idade. No fim, estou feliz com a minha carreira. Fui melhor do que esperava em tudo, então, para ser honesto, não é tão importante ser considerado o melhor de todos os tempos. Só posso fazer o meu melhor – disse.

O primeiro título de Federer em Grand Slam foi aos 22 anos. Seu maior rival Rafael Nadal venceu Roland Garros, por exemplo, com 19 anos. O americano Pete Sampras também conquistou seu primeiro Slam aos 19 anos, no US Open. Em títulos de Grand Slam, o suíço é o maior vencedor da Era Aberta, com três a mais que Nadal.
 
Em sua primeira partida desde abril, Federer caiu na estreia do ATP 250 de Stuttgart. Apesar da derrota, o ex-número 1 do mundo não se abalou com o resultado e lembrou que o “susto” pode lhe fazer bem.

- Honestamente, eu joguei tão bem em Halle... cheguei a confiar. O ano foi excelente e não foi ruim em Stuttgart. Talvez essa derrota contra o Tommy (Haas) fosse o que eu precisava para dar um gás para Halle e Wimbledon – disse.
 
A estreia de Roger Federer no ATP 500 de Halle será nesta terça-feira, às 12h30 no horário de Brasília. O adversário será o taiwanês Lu Yen-Hsun, 73º do ranking.

O torneio alemão é a competição em que o suíço teve mais sucesso na carreira. Ele foi campeão em oito edições e chegou a 10 finais.

Mais lidas nesse momento